Lucimar questiona prefeito sobre alagamentos de casas na ‘Bica do Boi’

A vereadora Lucimar Ponciano (MDB) questionou o prefeito Izaias Santana a respeito de alagamentos ocorridos nos quintais de residências localizadas entre a Rua Santa Maria e os fundos da Avenida Engenheiro Davi Monteiro Lino, na região central do município.

O questionamento, feito através de pedido de informações, aprovado pelo plenário da Câmara na sessão desta quarta-feira (29), leva em consideração que o prolongamento do loteamento do bairro Chácaras Rurais Santa Maria (Bica do Boi) – realizado há mais de 45 anos – trouxe prejuízos aos moradores ao longo dos anos.

Os projetos de engenharia não consideraram o nivelamento das casas, onde era o canal natural das águas, pois, conforme depoimento de moradores com mais 40 anos, quando havia a linha férrea não havia tantos alagamentos nos seus terrenos”, disse a vereadora.

Lucimar explicou que existe um declive de dois metros entre a fachada do imóvel e o fundo do terreno, onde a água das chuvas fica acumulada. Para exemplificar o caso, a vereadora citou resposta da Prefeitura a um pedido de informações, em 25 de outubro de 2018.

“A administração pública realizou vistoria no local e no caso específico não se trata de alagamento da via, mas sim do nível do terreno no quintal, que está abaixo do nível da rua acumulando-se a água da chuva. Não se trata de alagamento da via, mas de acúmulo de água da chuva por causa da falta de declive para escoamento da água no terreno. A administração pública esclareceu o problema ao munícipe e explicou que a solução viável seria o aterro do quintal pelo proprietário com caída para a rua, vez que o desnível é muito grande, cerca de dois metros de altura, sendo inviável a realização de uma galeria no local”, cita a resposta da Prefeitura à vereadora.

Diante da resposta, Lucimar afirmou: “Com todo respeito, como gestor público, eu não diria para os contribuintes de mais de 40 anos, com seus carnês de IPTU pagos, que a solução é aterrar seu terreno em dois metros de altura”.

Diante da situação, a vereadora questionou se a Prefeitura não tem a pretensão de corrigir “esse erro de engenharia”; se não existe a possibilidade de construir uma canalização com a caída para o córrego, uma vez que, segundo a vereadora, já existem dois pontos de escoamento de águas pluviais do Jardim Primavera e Jardim Marquês. “Já que haverá continuidade da Davi Lino, não há possibilidade de fazer a correção nesse trecho”, questionou.

No documento, a vereadora ainda apresentou a possibilidade da realização de estudo para solução técnica de engenharia para o caso, “com o compromisso de avaliar a questão e a viabilidade de execução com data prevista. Caso isso não ocorra, qual o caminho para solicitar indenização pelos danos aos proprietários das casas e terrenos comprometidos”, concluiu.

Você pode conferir estes e outros trabalhos do Legislativo acessando o site da Câmara e clicando na aba Produção Legislativa ou diretamente no link www.jacarei.sp.leg.br/trabalhos-gerais  .

Recomendar para um amigo
  • gplus
  • pinterest

Ao visitar, ler, ou interagir com os recursos disponibilizados neste site, você está aceitando todas as condições mencionadas neste Termos de Uso, com destaque para as seguintes condições gerais:

  • Não saia muito do tema do tópico.
  • Não publique SPAM, visível ou mascarado.
  • Não ofenda ninguém, nem faça comentários preconceituosos ou racistas.
  • Seja educado.

Deixe um comentário